Categoria: Sem categoria

Aids — o vírus do preconceito agride mais que a doença

Paiva Netto

O organismo humano é a mais extraordinária máquina do mundo. Mesmo assim, falha. Contudo, com Amor, até os remédios passam a ter melhor resultado. Por isso mesmo, a decisão da Assembleia Mundial de Saúde, com o apoio da ONU, de instituir, desde outubro de 1987, o primeiro de dezembro como o Dia Mundial da Luta contra a Aids, é de enorme importância. Tanto que, no ano seguinte, nosso país adotou a data por meio de uma portaria assinada pelo Ministério da Saúde.

Nossos Irmãos que padecem com o vírus HIV e os que sofrem de outros males físicos, mentais ou espirituais precisam, em primeiro lugar, de Amor Fraterno, aliado ao socorro médico devido. Se a pessoa se sentir espiritual e humanamente amparada, criará uma espécie de resistência interior muito forte, que a auxiliará na recuperação ou na paciência diante da dor. Costumo afirmar que o vírus do preconceito agride mais que a doença.

Aos que sofrem o abandono a que foram relegados por antigos correligionários, por amigos de discussão intelectual e até mesmo pelos seus entes mais queridos, o conforto destas palavras do saudoso dom Paulo Evaristo Arns (1921-2016), cardeal-arcebispo emérito de São Paulo, na sua tocante obra Da Esperança à UtopiaTestemunho de uma Vida: “A graça de Deus não esquece ninguém nem se regula por crachás. Basta lembrar o segundo capítulo do livro Gênesis para sentir como o sopro de Deus infunde vida ao ser humano e lhe dá como companheira a Esperança por toda a vida. (…) Afinal, o mundo é de Deus, e Deus está presente no coração de cada pessoa, por menos que esta O sinta ou O exprima de viva voz. (…) A utopia é a união de todas as esperanças para a realização do sonho comum. Se realizarmos este sonho, teremos construído uma nova realidade.

Longe do Amor Fraterno, ou Respeito, se assim quiserem apelidá-lo, o ser humano jamais saberá viver em Sociedade Solidária Altruística Ecumênica, porque a sua existência ficará resumida a um terrível “cosmos”, o mesquinho universo do egoísmo. Por esse motivo, escreveu o pensador e sociólogo francês Augusto Comte (1798-1857): “Viver para os outros é não somente a lei do dever, mas também da felicidade”. Trata-se de uma lição que ninguém deve esquecer em circunstância alguma.

 

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com 


     

Aniversariante do dia.

Nonon Neves, morador de Itinga há trocentos anos, liderança do Santa Bárbara, faz mais um ano de vida.

Soube há pouco que Xandinho vai por o Trio Elétrico  em Itinga daqui a pouco pra marcar com muita alegria o aniversário de seu liderado e maior cabo eleitoral na comunidade Itinguense.

Parabéns, Nonon e estamos ai na festança.


     

Doe sangue

Paiva Netto

Estamos na Semana Nacional do Doador Voluntário de Sangue, comemorada desde 2003, sempre no mês de novembro. Um pedido recorrente do Ministério da Saúde é “que as pessoas sejam doadoras também durante o período das férias, para que o estoque dos bancos de sangue nos hemocentros esteja assegurado”.

Atendamos a essa convocação. Saiba antes se você possui as condições físicas ideais para ser um doador. Seu gesto de Caridade pode salvar muitas vidas.

Deus tem muitos sinônimos

Tudo que do Amor Divino nasce é verdadeiramente sublime. De certo, firmado nessa realidade, o dramaturgo e poeta francês Victor Hugo (1802-1885) ensinava que “o Espírito se enriquece com aquilo que recebe, e o coração, com o que dá”. Portanto, sem o Amor, que é Deus, o ser humano vive desgovernado, longe da Verdade, que é a Palavra Dele. (Evangelho de Jesus, segundo João, 17:17: “Pai, Tua Palavra é a Verdade”.)

Se você não crê na existência do Pai Celestial, não se sinta excluído pela minha afirmativa. Pense, então, em bom senso, porque quem não o exercita também vive em desgoverno.

Deus tem muitos sinônimos, tais como Amor, Fraternidade, Solidariedade, Compaixão, Clemência, Generosidade, Misericórdia, Altruísmo e tudo o mais que valoriza as criaturas, conduzindo-as à Paz consigo mesmas e com os outros.

Por consequência, o Criador não apoia manifestações de ódio em Seu Santo Nome. Muito apreciada, pois, esta admoestação de Martinho Lutero (1483-1546): “Não desejo que as pessoas lutem em favor do Evangelho pela força e pelo morticínio. O mundo tem de ser conquistado com a palavra de Deus”.

De que Deus fala o grande reformador? Evidentemente que a respeito Daquele enunciado por João Evangelista, na sua Primeira Epístola, 4:16: “E nós conhecemos e cremos no Amor que Deus tem por nós. Deus é Amor. E aquele que permanece no Amor permanece em Deus, e Deus, nele”.

E tamanha é a compreensão que Lutero tinha do magnânimo Sentimento Divino que o versículo de sua preferência na Bíblia fala por si, a quem tem “olhos de ver e ouvidos de ouvir”: “De tal maneira amou Deus ao mundo, que lhe mandou o Seu Filho Unigênito, de forma que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a Vida Eterna”. (Evangelho do Cristo, segundo João, 3:16.)

O velho pregador alemão sabia que não há outro caminho senão o do Amor, que é sinônimo de Caridade. Outro grande sábio da História, Dante Alighieri (1265-1321), em A Divina Comédia, escreveu: “O Amor é a força que move o Sol e outras estrelas”. Por isso, viver afastado Dele é sofrer a orfandade da Alma. Deus não tem bigode nem barba. A Sua Face é o Amor.

José de Paiva Netto – Jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com


     

Gloria Pires apoia campanha de Natal da LBV

A renomada atriz Gloria Pires divulgou, em suas páginas nas redes sociais, apoio à campanha Natal Permanente da LBV — Jesus, o Pão Nosso de cada dia!, promovida pela Legião da Boa Vontade.

Vestida com a camiseta da LBV, ela convidou seus seguidores a ajudar a Instituição: “Neste Natal, a LBV entregará mais de 50 mil cestas de alimentos a famílias em situação de pobreza em todo o Brasil. Colabore com a LBV doando cestas de alimentos!”

Na Bahia, serão entregues 3.900 cestas de alimentos a famílias que sofrem com a seca nas cidades do Sertão do São Francisco (Juazeiro, Uauá, Curaçá e Sobradinho), na zona rural de Ipirá, além das famílias atendidas pelos Centros Comunitários de Assistência Social da LBV em Salvador, Lauro de Freitas, Itabuna e ONGS parceiras.

A iniciativa tem como meta arrecadar e entregar um milhão de quilos de alimentos, em cestas, no mês de dezembro, para famílias em situação de pobreza atendidas ao longo do ano, pela LBV e por organizações parceiras.

Acesse www.lbv.org/natal e faça a sua doação!


     

Depressão infantil

Paiva Netto

 Levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS) demonstra que, em todo o planeta, 20% das crianças e dos adolescentes apresentam sintomas de depressão, como irritabilidade ou apatia e desânimo. Os dados referentes ao Brasil sugerem que esse tipo de distúrbio se faz presente entre 8% e 12% da população infantojuvenil.

É um número preocupante. Saber lidar com essa problemática, que jamais esteve restrita a adultos e idosos, é providência urgente para pais e educadores.

O programa Educação em Debate, da Boa Vontade TV (Oi TV — Canal 212 — e Net Brasil/Claro TV — Canal 196), que discute os principais assuntos da educação pela ótica da Espiritualidade Ecumênica, entrevistou o dr. Gustavo Lima, psiquiatra da Infância e da Adolescência, que nos aponta algumas causas da depressão nas fases iniciais da vida e como notá-las: “Primeira coisa — uma investigação clínica pormenorizada. Segunda coisa — é muito importante lembrar que os transtornos afetivos na infância e na adolescência são de causa multifatorial, ou seja, diversos fatores podem causar a depressão: genéticos, ambientais, entre outros. Entretanto, na nossa prática clínica, o que aumenta muito a chance de uma criança ficar deprimida são os ambientes familiar e escolar desfavoráveis”.

 Diferença comportamental

O que dificulta, de certa maneira, pais e educadores perceberem que o filho ou o educando está deprimido é o comportamento dessa patologia entre as faixas etárias: “Diferentemente dos adultos, as crianças não ficam deprimidas o tempo inteiro. Às vezes, os pais deixam de levar o filho para uma avaliação porque em algum momento do dia ele se divertiu. E isso não significa que não esteja deprimido”, esclareceu o especialista.

E alertou ainda: “É preciso, também, muito cuidado com os sintomas de ideação de morte, quando vêm à mente ideias suicidas. Quando você está diante de uma criança deprimida com esses sintomas, é muito importante uma avaliação médica e um tratamento com psicólogo. Em alguns casos, dependendo da gravidade, recorrer a tratamento farmacológico”.

 Prevenção

Para o dr. Gustavo Lima — que é membro do Programa de Atendimento a Transtornos Afetivos do Serviço de Psiquiatria da Infância e Adolescência, do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP —, existem algumas atitudes que podem ajudar a prevenir a depressão nas crianças: “Além de um acompanhamento pediátrico, cuidar das horas de sono e da alimentação, um ambiente familiar estruturado é fundamental. Outra coisa importante é uma escola que favoreça o desenvolvimento da criança, que consiga identificar as reais potencialidades dela. Então, saúde, bem-estar, ambientes familiar e escolar favoráveis, prestar atenção também em questões genéticas contribuem, e muito, para se prevenir a depressão infantil”.

Atentemos, pois, às elucidativas recomendações do dr. Gustavo Lima. E não descuidemos de proporcionar aos pequenos e aos jovens um espaço sadio, enriquecido por uma Espiritualidade Ecumênica orientada pelos melhores princípios éticos. Desde cedo, devemos ter consciência de que a prece, a meditação, a confiança em Deus ou nas forças da Natureza são eficientes recursos ao equilíbrio bio-psíquico-espiritual.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

 


     

Secretaria de Justiça discute parcerias com a Ronda Maria da Penha

Na manhã desta terça-feira (31), o secretário de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), Carlos Martins, reuniu-se com a comandante da Operação Ronda Maria da Penha, major Denice Santiago, e a Coordenação de Políticas para a Juventude da SJDHDS. Em pauta, parcerias para a campanha dos 16 Dias de Ativismo Pelo Fim da Violência contra as Mulheres, celebrada em novembro.

“Todos nós vibramos com o sucesso da major e da Ronda, e nos colocamos à disposição para ajudar no que for possível. Essa luta é, também, uma luta nossa e de todos que acreditam na proteção e defesa dos Direitos Humanos”, afirmou o secretário.

A proposta é de promover uma oficina de grafite com as mulheres vítimas de violência doméstica, atendidas pela Ronda Maria da Penha na sua sede, no Distrito Integrado de Segurança Pública (Disep) no bairro de Periperi, subúrbio ferroviário de Salvador. “Queremos levar, para aquele muro, as lições de vida e de renascimento dessas mulheres”, destacou Denice Santiago que, no início do mês, conquistou o Prêmio Claudia, na categoria Políticas Públicas, pelas ações desenvolvidas desde a criação da unidade especializada da PM, que protege mulheres vítimas de violência no Estado. Trata-se da maior premiação feminina da América Latina.

Atualmente, são 690 mulheres assistidas na unidade, inaugurada em março do ano passado. Elas já participam da ação “Mulheres de Coragem”, que promove oficinas diversas (empreendedorismo, artes, dança, teatro), palestras e bate-papos nos meses de março (quando se comemora o Dia Internacional da Mulher) e novembro. “São ações de socialização e empoderamento, que ajudam a resgatar a autoestima dessas mulheres”, pontuou a major, que criou a ação por iniciativa própria.

Para as oficinas de grafite, a ideia é que as próprias oficineiras sejam, exclusivamente, mulheres, do coletivo Donas do Rolê e com a participação de alunas de escolas que já tiveram as oficinas do Mais Grafite. O projeto do Governo do Estado, que é coordenado pela SJDHDS, já realizou ações, com aulas teóricas e práticas, em oito colégios – outros nove participarão até o fim do ano.

“É preciso aprofundar, ainda mais, essa questão da violência contra a mulher e de forma integrada, até para permitir uma expansão das políticas de combate e proteção como a Ronda já vem fazendo”, defendeu Carlos Martins. “E o Mais Grafite tem também esse potencial, de fomentar a autoestima e o empoderamento, dando voz e visibilidade às causas sociais através da arte”, enfatizou.


     

Parque Ecológico tem a ver com conservação, educação ambiental e não com insatisfação partidária.

Há uma meia dúzia de insatisfeitos com a gestão de Nossa Rainha que se embrenhou na peleja pelo Parque Ecológico. A situação é a seguinte; um pessoal que parece não ter cabeça, só pode ser, está usando os animais e implorando para que os órgãos de proteção aos animais e comerciantes do setor abracem a sua causa “pessoal” de insatisfação partidária, e camuflam dizendo que é para levar seu cão de estimação ao Parque Ecológico. Gente, o Parque é um pequeno espaço conquistado c não adianta comparar como se fosse Salvador; tudo aqui é diferente, Lauro de Freitas não é Salvador, não enxergam que até a gestão aqui é melhor? Aqui é 13 e ponto final. O parque é um mini, mini, mini, mini espaço comparado aos parques de Salvador, e não cabe tanta gente disputando espaço com animais no mesmo dia e horário. Há preocupação até dos deuses pela pequena estrutura de segurança para todos, o parque não foi projetado pra isso. O afã da vingança política e insatisfação por terem projetos culturais reprovados, está causando esse quiproquó e prejudicando até quem não tem nada a ver com a história. Isso é questão de segurança e saúde pública.  Há famílias receosas com a presença de tantos animais disputando o pequeno espaço com as crianças no mesmo dia e horário, e o risco de doença é eminente com tanto pipi e caca por metro quadrado. Está ficando inviável os pirqueniques e passeios a cada semana em virtude do odor e poluição visual pelas fezes dos cães. Há relatos de animais que saem correndo atrás de crianças, por isso o bom senso em não permitir animais aos finais de semana, quando o fluxo de pessoas é maior está gerando esse problema. Acho que temos de criar um espaço ou dias específicos para os animais e evitar que o parque seja fechado mais uma vez por interesse de alguns..

 


     

Congresso Estadual de Educação Inclusiva é lançado em Lauro de Freitas

Compartilhar experiências e avançar em propostas de políticas públicas para inclusão de pessoas com deficiência no sistema de ensino, numa perspectiva de empoderamento e emancipação, é o grande desafio do V Congresso Baiano de Educação Inclusiva (CBEI), lançado nesta terça-feira (03/10), durante encontro promovido pela Secretaria de Educação do Estado (SEC) e Secretaria Municipal de Educação (SEMED), no auditório da Unime, em Lauro de Freitas.
Em nome de toda a organização e secretarias, um dos coordenadores gerais do Congresso, José Antônio Matos, oficializou o lançamento ressaltando a importância de fomentar o trabalho de educação inclusiva nas escolas. “Esse Congresso é o segundo maior evento de educação inclusiva do Brasil e o maior do Norte e Nordeste. No Congresso, os professores poderão tirar dúvidas e qualificar sua formação para que, assim, possamos garantir que as pessoas com deficiência tenham acesso à educação”, afirmou José Antônio.
A coordenadora executiva da Secretaria de Educação de Lauro de Freitas, Dinalva Melo, relatou que o evento tem o propósito de divulgar a realização do Congresso que acontecerá em Feira de Santana, com a perspectiva de assegurar que os professores, cuidadores e demais profissionais da cidade, se preparem cada vez mais para atender as crianças com deficiência. “É uma tarefa desafiadora, que exige dos profissionais, não somente a competência para fazer seu trabalho, mas também para acolher aos pais, que muitas vezes não estão preparados para lidar com essa situação”, destacou.
Durante o lançamento, professores da rede municipal e estadual de educação, e profissionais da área de saúde, assistiram a palestras das professoras doutoras Terezinha Miranda (UFBA) e Jaciete Barbosa (UNEB / CEEBA), e da pesquisadora Marilene Maciel (AFAGA), que falaram sobre políticas públicas de inclusão educacional, deficiência, tecnologias e acessibilidade.
Presente no evento de lançamento, o diretor do Centro de Apoio Pedagógico ao Deficiente Visual, do bairro de Nazaré, em Salvador, Rivelto Carvalho, ressaltou o ganho para a sociedade quando se tem inciativas voltadas para a questão da educação inclusiva. “Esse congresso será um momento importante para que professores e defensores da causa possam galgar um avanço nas políticas públicas voltadas para pessoas com deficiência”.
O congresso
O V Congresso Baiano de Educação Inclusiva (CBEI), acontecerá de 08 a 10 de novembro de 2017, no auditório central da UEFS em Feira de Santana. O evento tem como objetivo, propiciar a discussão e reflexão da educação inclusiva em diferentes contextos sociais, com intuito de contribuir para a construção de novos saberes e práticas educacionais inclusivas. Paralelo ao V CBEI será realizado também o III Simpósio Brasileiro de Educação Especial.
Para outras informações do congresso, inscrições e programação, acesse:http://www.uefs.br/vcbei/
Fonte: ASCOM PMLF

     

Lauro de Freitas ganha CEP de ruas depois de 10 anos de trabalho

 

Lauro de Freitas ganhou hoje, finalmente, o seu zoneamento postal. Foram dez anos de luta para atingir esse objetivo, desde antes de Antônio Rosalvo ter sido eleito Vereador pela primeira vez. O CEP de cada rua da cidade pode ser consultado a partir de hoje no site dos Correios .

 

Os números vão de 42700-001 a 42749-999, substituindo o CEP geral 42700-000, usado anteriormente para todos os logradouros. Há também sete caixas postais comunitárias e seis “grandes usuários”, cinco condomínios residenciais, comerciais e industriais e um loteamento que receberam um CEP exclusivo para eles.

 

Tudo começou em 2007, por causa da dificuldade de receber correspondência em localidades como o Jambeiro, comunidade que Rosalvo passou a representar na Câmara Municipal dois anos depois. “As pessoas eram obrigadas a se deslocar até um posto comunitário porque o Correio não sabia onde entregar a correspondência”, conta.

 

O Código de Endereçamento Postal (CEP) existe para organizar a distribuição dos Correios. Sem o CEP, os carteiros ficam perdidos: há ruas sem nome ou com nome igual a outras, endereços errados, numerações aleatórias.

 

O CEP existe no Brasil desde 1971, mas só chegou a Lauro de Freitas 46 anos depois por causa da falta de organização da administração municipal. Antes de atribuir um CEP a cada rua, o Correio precisa saber quantas ruas existem, cada uma tem que ter um nome oficial e as ruas precisam estar definidas em bairros.

 

Todas essas etapas tiveram que ser vencidas. “A equipe que trabalhou nesse projeto, liderada por Ailton Borges, que também é da comunidade do Jambeiro, está de parabéns pela persistência e pela incansável busca de uma solução para um problema de décadas”, disse Rosalvo. A Prefeita Moema Gramacho “deu início a esse processo e está presente novamente na sua conclusão”, tendo sempre se empenhado também, lembra o Vereador.

 

“Entra gestão, sai gestão, a equipe continuou trabalhando na organização da cidade e atingimos agora o resultado”, disse Rosalvo, que acompanhou tudo de perto, facilitando contatos e cuidando da fluência do trabalho. A primeira tarefa foi fazer uma listagem dos logradouros, das ruas da cidade, com base nas informações disponíveis. “Isso começou em 2008”, conta o Vereador.

 

A primeira lista foi produzida e entregue ao Correio em 2009, mas ela era incompleta, cheia de falhas nas informações. Era o “cadastro imobiliário da cidade”, que a Prefeitura usava para cobrar o IPTU. Depois a Secretaria da Fazenda ainda descobriu que faltava cadastrar mais de 28 mil imóveis. “Nada andou em 2010 porque faltavam dados”, recorda Rosalvo.

 

Naquela época a própria Fazenda tinha problemas para entregar carnês de IPTU. Entre 70% e 80% das correspondências eram devolvidas pelo Correio por problemas de endereço. “Isso ajudou a motivar a Prefeitura para resolver o problema”, admite o Vereador. Em 2011 a Prefeitura resolveu fazer o cadastro correto de todos os imóveis até o fim do ano seguinte.

 

Havia também a intenção de metrificar as ruas, ou seja, atribuir uma numeração às casas de acordo com a distância em relação ao início da rua, por geoprocessamento, via satélite. Mas o processo todo estava previsto para se estender até 2014.

 

Rosalvo achou demorado demais e o zoneamento postal não dependia de tudo disso. “O que é necessário é definir a quantidade de logradouros e de bairros, com seus limites”, disse o Vereador na época, depois de mais uma reunião com o então Diretor Regional dos Correios Cláudio Garcia.

 

O passo seguinte foi dar nome a centenas de ruas de Lauro de Freitas que até então só eram conhecidas por letras (Rua A, Rua B etc) e que existiam repetidamente em várias localidades de Lauro de Freitas. Outras tinham nome certo, mas também repetido, o que provocaria confusão no momento de atribuir os CEP e precisavam ser melhor definidas.

 

Ao mesmo tempo, a equipe que trabalhava no projeto fazia o mapeamento das ruas e a definição dos bairros oficiais de Lauro de Freitas: Aracuí, Pitangueiras, Buraquinho, Ipitanga, Vilas do Atlântico, Vila Praiana, Centro, Recreio Ipitanga, Itinga, Portão, Caixa D’Água, Caji, Vida Nova, Quingoma, Parque São Paulo, Capelão, Jambeiro, Areia Branca e Barro Duro. Esse trabalho ficou pronto em 2014.

 

Já em 2015, num esforço concentrado, 350 ruas ganharam nome novo, incluindo algumas que estavam em desacordo com a lei, homenageando pessoas vivas. Nos casos em que foi necessário criar um novo totalmente novo, as ruas ganharam nomes da nossa fauna e flora.

 

A Câmara Municipal aprovou a lei com as mudanças de nome no início de 2016. Tudo pronto, a base de dados foi entregue em janeiro daquele ano aos Correios, numa cerimônia pública no Cine Teatro de Lauro de Freitas.

 

Levaria ainda mais quase um ano para eles atribuírem os números de CEP às ruas de Lauro de Freitas. “Mas essa hora chegou”, comemora Rosalvo. “Certamente haverá ajustes a fazer, detalhes a rever, mas o importante é que chegamos lá”, completou.

 

 

 


     

Guarda Municipal de Lauro de Freitas é nota 13

 

Guarda Municipal de Lauro de Freitas tira de circulação, homem suspeito da prática de assaltos na região do Restaurante Popular.

 

Equipes da Guarda Municipal apreenderam, nesta quarta-feira (27), um homem portando arma de fogo do tipo revólver calibre .22, com munições e númeração suprimida, na região do Restaurante Popular próximo a rotatória da Base Aérea Av. 2 de julho – Centro.

Entenda o fato:

Na tarde de ontem, quarta feira dia 27/09, por volta das 14h15min, enquanto realizavam a cobertura do evento “1° Simpósio de Segurança Municipal”, no Cine Teatro, Centro, foi informado a guarnição da Guarda Municipal, por munícipes assustados, da existência de um homem realizando assaltos com arma de fogo nas imediações da ladeira atrás e da igreja católica. Após informar a central de rádio da Guarda, equipes se deslocaram em patrulhamento para averiguar, e encontraram um homem com as características informadas pelos municípes trajando (camisa branca, calça jeans e tênis azul) quando se preparava para mais um assalto naquele região. Com o suspeito Pedro Allan Sousa de Jesus, de 30 anos, a GM encontrou 1 (um), revólver calibre .22 com 6 (seis), munições intactas, além de 1(um) aparelho celular da marca Mox.

Ainda de acordo com suspeito, já possui outras passagens pela polícia. Pedro Allan, foi apresentado e preso na 23°DT – Centro de Lauro de Freitas, onde segue a disposição da justiça