Categoria: Sem categoria

Não morri, nem fui sequestrado…🙏🙏🙏

Blog do Lau

Calma, calma, calma…não morri, nem fui sequestrado…fui assaltado na Praça José Ramos, Itinga, em plena luz do dia.

Confesso tive muita raiva, ódio mesmo…fiz uma loucura, a qual nunca deve ser feita: reagi ao assalto.

Caminhava falando ao celular com o Vereador César Grandão, quando os desgraçados meliantes me abordaram. Por impulso, empurrei os desgraçados para ver se caiam da moto e alguém me socorria…muitas pessoas viram toda a cena, mas nem se meteram…acho que se pudessem filmavam e colocavam no YouTube.

Passado o susto, mas não a raiva e o ódio, fui à Delegacia, à Base Comunitária e à Guarda Municipal para ver a filmagem. Quero agradecer e reconhecer o esforço e a atenção de todos estes profissionais e tenho a certeza que estes meliantes desgraçados serão pegos nas próximas horas.

Agora estou tomando um choppinho e já estou com um celular novinho em folha…ah, o melhor: estou VIVO !!!


     

Transformar dor em vitória

Paiva Netto

Não duvidemos de nossa capacidade, como seres espirituais e humanos, de alcançar o hoje considerado insuperável. Temos muito mais aptidão para sobrepujar problemas, por maiores que os julguemos, segundo avalia o médico, psicólogo, filósofo e escritor norte-americano William James (1842-1910): “A maioria das pessoas vive física, intelectual ou moralmente num círculo muito restrito do seu potencial. Faz uso de uma parte muito pequena da sua possível consciência e dos recursos da sua alma em geral, assim como um homem… que se habitua a usar e a mover somente o seu dedo mínimo. Grandes emergências e crises nos mostram como os nossos recursos vitais são muito maiores do que supúnhamos”.

Se as dificuldades são maiores, superiores serão os nossos talentos para suplantá-las. Se desse modo não fosse, onde estaríamos hoje caso os que nos antecederam, pelos séculos, se acovardassem? A pior tragédia é desistir por causa das adversidades do mundo. É falhar, portanto, com aqueles que confiam em nós. Os que vieram antes — com o combustível da Fé — sublimaram dor em vitória.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com


     

Xandinho cai na folia

Acompanhando de perto o carnaval de Lauro de Freitas, o Secretário de Meio Ambiente, Alexandre Marques caiu na folia momesca…

Acompanhou o bloco Jeepé e fez fotos com os populares sem esquecer da realeza da folia: O Rei Duzinho e sua Rainha.


     

Bloco Jeepé arrasta multidão no carnaval de Lauro

O bloco Jeepé, do meu Amigo Rangel, já é sucesso no carnaval de Lauro de Freitas há muito tempo, mas desta vez superou todas as expectativas. Arrastou uma multidão de foliões que curtiram atrações de qualidade e com toda a segurança.

O Jeepé tornou-se um bloco familiar, onde pessoas de todas as idades curtem com alegria o carnaval de Lauro.

Parabéns, Rangel !!!


     

O mundo nasceu com música

Paiva Netto

Há muitos conceitos sobre a música. Refletindo sobre em que períodos a música se vem decisivamente manifestando pelas eras, podemos concluir que ela existe desde antes dos tempos. De fato, é instrumento dessa grande obra-prima do Pai Celestial, o Universo.

Ao lermos os capítulos iniciais do Gênesis Mosaico, sentimos a forte harmonia nascida do surgimento dos rios, das árvores, dos animais, da separação das terras, da expansão dos mares e da própria formação do nosso Espírito Eterno. A partir daí, é possível estabelecer diversos e significativos momentos em que a música se casa com a história das muitas civilizações e correntes de pensamento que dão vida ao planeta. Uma nota musical pode salvar muitas vidas. A música elevada é um instrumento da Fortaleza chamada Deus! A boa música é um elo inquebrantável que une a criatura ao Criador.

Diante disso, temos a noção exata de que o pulsar da Vida, o Bem, a Solidariedade, o Respeito e a Caridade são igualmente melodias, sons, ritmos que afinam nossos pensamentos, palavras e ações pelo diapasão da Justiça e do Amor.

Deus em cada criatura

Aproveito o ensejo para agradecer a correspondência que recebi da professora Adriane Schirmer, de São Paulo/SP, na qual comenta sobre minha modesta produção: “Gostaria de parabenizá-lo por suas melodias. Tocam profundamente nossa Alma e despertam em nós os melhores sentimentos. Valem por uma súplica, uma oração ao Pai Celestial. Quando as entoamos, sentimos, tal qual nos momentos de prece, o coração limpo. E, quando isso acontece, vemos Deus em cada criatura, em cada planta, em cada pôr do sol… Assim, de coração limpo e Alma ajoelhada, nos tornamos aptos a aprender a amar sem imposições, a amar com o Amor de Jesus”.

Música e medicina

Grato, leitora Adriane, inclusive por me ter encaminhado o belo texto de apresentação da obra O Médico, de Rubem Alves (1933-2014):

“Instrumentos musicais existem não por causa deles mesmos, mas pela música que podem produzir. Dentro de cada instrumento há uma infinidade de melodias adormecidas, à espera de que acordem do seu sono. Quando elas acordam e a música é ouvida, acontece a Beleza e, com a Beleza, a alegria. O corpo é um delicado instrumento musical. É preciso cuidar dele, para que ele produza música. Para isso, há uma infinidade de recursos médicos. E muitos são eficientes. Mas o corpo, esse instrumento estranho, não se cura só por aquilo que se faz medicamente com ele. Ele precisa beber a sua própria música. Música é remédio. Se a música do corpo for feia, ele ficará triste – poderá mesmo até parar de querer viver. Mas se a música for bela, ele sentirá alegria e quererá viver. Em outros tempos, os médicos e as enfermeiras sabiam disso. Cuidavam dos remédios e das intervenções físicas – bons para o corpo – mas tratavam de acender a chama misteriosa da alegria. Mas essa chama não se acende com poções químicas. Ela se acende magicamente. Precisa da voz, da escuta, do olhar, do toque, do sorriso. Médicos e enfermeiras: ao mesmo tempo técnicos e mágicos, a quem é dada a missão de consertar os instrumentos e despertar neles a vontade de viver…”

Fica aqui então minha homenagem aos bons músicos, bons criadores de instrumentos musicais e, é claro, aos bons médicos e enfermeiras.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com


     

LBV apoia famílias para que crianças, adolescentes e jovens sejam motivados a frequentar a escola

Ao longo de seus quase 70 anos de existência, a Legião da Boa Vontade (LBV) tem promovido uma série de ações permanentes em favor da Educação, com vista ao combate aos índices de analfabetismo, de evasão escolar, de trabalho e exploração infantil e de pobreza no país. Para tanto, a Instituição auxilia os pais que não dispõem de recursos financeiros para a compra dos materiais escolar e pedagógico; empreende atividades que motivam crianças e adolescentes a frequentar a escola e a continuar os estudos; oferece oportunidades de aprendizagem a jovens e adultos; realiza capacitação de educadores; presta assessoramento a unidades de ensino; e propicia a famílias o acesso à informação, orientação e acompanhamento social.

Em suporte a todas essas ações, a LBV realiza, anualmente, a campanha Criança Nota 10 — Proteger a infância é acreditar no futuro!, que, em 2018, entregará mais de 22 mil kits de materiais escolar e pedagógico, nas cinco regiões brasileiras. Ainda neste período do ano, a Instituição doa conjuntos completos de uniforme a milhares de crianças, adolescentes e jovens de famílias em situação de vulnerabilidade os quais participam das atividades em suas escolas de Educação Básica e em seus Centros Comunitários de Assistência Social, localizados em diversas cidades do país.

A entrega dos kits ocorre sempre em fevereiro e março, e serão beneficiados com as doações alunos das escolas de Educação Básica da Legião da Boa Vontade — incluindo os que cursam a modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA) —, crianças e adolescentes de 6 a 15 anos de idade que participam dos programas socioassistenciais desenvolvidos nos Centros Comunitários da LBV, bem como estudantes atendidos por organizações parceiras da Entidade.

Para angariar as doações, a LBV conta com a solidariedade do povo brasileiro e a mobilização de colaboradores, voluntários, amigos e parceiros. Os donativos para a campanha podem ser feitos pelo site www.lbv.org ou pelo tel. 0800 055 50 99. Outras informações, basta acessar o perfil da LBV no Facebook, no Instagram e no Youtube, por meio do endereço “LBV Brasil”.


     

Inteligência espiritual

Paiva Netto

Meditando sobre a responsabilidade de pais e educadores na sólida formação espiritual, humana e ética dos infantes, recordei-me do que, em 1981, disse ao jornalista italiano Paulo Rappoccio Parisi (1921-2016), há décadas radicado no Brasil. Defendi a basilar necessidade de unir ao raciocínio intelectual a sabedoria que se origina no coração das criaturas. Sim, porque também existe a inteligência do sentimento, da emoção e, mais que isso, a espiritual, provinda do Mundo ainda invisível aos nossos olhos materiais, por questões de frequência, entre outras. Ninguém morre. Continuamos vivos pela Eternidade.

Educação com Espiritualidade Ecumênica

No Manifesto da Boa Vontade (1991), escrevi que, intuitivamente, com acerto, assevera o próprio povo, seguido por eminentes pensadores: “Enquanto há vida, há esperança”, consoante a afirmativa do filósofo grego Teócrito (320-250 a.C.). O caminho mais acertado, portanto, permanece na área da Educação com Espiritualidade Ecumênica, um passo à frente no terceiro milênio, que se aproxima.

Contudo, a insensibilidade de muitos foi a motivação deste expressivo repto do notável Martin Luther King Jr. (1929-1968): “Ao longo do caminho da História, uma das maiores tragédias do homem tem sido o seu limitado interesse pelo próximo, seja este tribo, raça, classe ou nação”.

Por isso há que se orientar os esforços mundiais, aplicando-os na tarefa de resgate da parcela desfavorecida do planeta, colocando, assim, os valores da sociedade na devida ordem e fazendo a marcha do desenvolvimento econômico dirigir-se em prol da criatura humana, porquanto o ser vivente é a geratriz do progresso, a despeito das máquinas. Do contrário, os governos poderão não estar governando para seus povos.

O velho Gandhi (1869-1948) afirmava que “uma civilização é julgada pelo tratamento que dispensa às minorias”. E aí, na indiferença de muitos para com os demais, reside a sua fraqueza, se nada fizerem para mudar o rumo dos fatos, para o que é necessário igualmente que parem de culpar a Deus e os Seus preceitos pelos tropeços que dão. Atualíssima, portanto, esta advertência de antigo aforismo do escritor latino Publilius Syrus (85 a.C.-43 a.C.): “Tolo é aquele que afunda seus navios duas vezes e continua acusando o mar de culpado”.

Atenção merecida às crianças

Para que isso não venha a ocorrer com os pequeninos que se preparam para a vida, com honra inaugurei, em São Paulo/SP, em 25 de janeiro de 1986, data natalícia da colossal cidade sul-americana, a Supercreche Jesus, que integra um grande Instituto, responsável pela educação diária de milhares de crianças, jovens e adultos. Reflitamos acerca deste ensinamento do Profeta Muhammad (570-632) — “Que a paz e as bênçãos de Deus estejam sobre ele!”— no Corão Sagrado: “As crianças são os ornamentos da vida neste mundo”.

Delas, Jesus, no Seu Evangelho, segundo Mateus, 19:14, declara: “Deixai vir a mim os pequeninos, não os impeçais, porque deles é o Reino dos Céus”. E Salomão, em Provérbios, 22:6, aconselha: “Educa a criança no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele”.

Ao anunciar, ainda durante a inauguração da Supercreche Jesus, o advento do Conjunto Educacional Boa Vontade, que surgiria em 25 de janeiro de 1993, também na capital bandeirante, assim resumi sua filosofia de trabalho: Aqui se estuda. Formam-se Cérebro e Coração.

Combate à Exploração Sexual

Proteger a infância e a juventude consiste em providência para todas as horas. Portanto, nos antecipando ao Dezoito de Maio, Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, ratificamos essa batalha para a qual a sociedade deve permanecer em constante vigília.

Tenhamos em nossa agenda o Disque Direitos Humanos, o Disque 100. A ligação é gratuita.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com


     

Parlamentares de Lauro presentes em lançamento de comitê feminino

As vereadoras Naide Brito, presidenta da Câmara Municipal, Luciana Tavares, os vereadores  Roque Fagundes e Edivaldo Palhaço, participaram, nesta quarta feira (31), em Lauro de Freitas, do lançamento do comitê Mulheres Guerreiras em Defesa da Democracia.

Ao abrir a reunião, a prefeita Moema Gramacho disse que o objetivo do comitê é fortalecer a participação feminina na política e defender o direito do ex presidente Lula ser candidato a presidente da República.

Também estiveram presentes a senadora Lídice da Mata, as deputadas Alice Portugal, federal, Neuza Cadore, Fátima Nunes, Fabíola Mansur e Maria Del Carmem, estaduais, secretários e secretárias estaduais e municipais e a ex primeira dama do estado, Fátima Mendonça, dentre outras e outros.