Autor: Ladislau Leal

Em aula de campo, Univerão leva alunos a Estação do Metrô em Lauro de Freitas


Como extensão das atividades de tecnologia da Univerão, estudantes tiveram a oportunidade, nesta sexta-feira (19), de conhecer a Estação Aeroporto de Metrô e assistir a uma aula dentro do trem. Os alunos da escola Municipal Santa Julia, da UFOB-Universidade Federal do Oeste Baiano e UNIVASF-Universidade Federal do Vale do São Francisco conheceram o funcionamento técnico e operacional do trem e das estações de metrô.


A iniciativa da aula de campo foi da prefeita Moema Gramacho entendendo o propósito dos cursos de ciência e tecnologia da Univerão. “Estamos encantados com essa troca de experiências que a Univerão está permitindo. Essa aula proporcionou aos alunos do nosso município e aos de fora conhecer o funcionamento do metrô em um momento preparado exclusivamente pra eles”, destacou.
Responsável pela aula, o colaborador da CCR Metrô Bahia, George Santino, mostrou aos alunos e aos gestores municipais a grande estrutura de tecnologia e pessoal que faz o metrô funcionar e atender ao cidadão com maior conforto e segurança possível. Santino também fez um resumo sobre o surgimento e evolução do metrô no Brasil até a chegada à Bahia.


“Foi uma oportunidade ótima, uma novidade. Vimos como funciona a mecânica e tentei aprender ao máximo o mecanismo do metrô que é importado para que em algum momento esse conhecimento sirva para produzirmos essa tecnologia em nosso Estado”, confessou Eric Freitas, aluno do curso de Ciência e Tecnologia da UFOB.
Para secretário de Educação Paulo Gabriel Nacif, o metrô é uma política de mobilidade que vai colocar o mundo mais próximo de Lauro de Freitas. “Poder mostra aos estudantes como é possível utilizar uma tecnologia avançada a serviço da humanização, mantendo o respeito pelos trabalhadores é muito positivo. Esperamos que no próximo Univerão todos venham de metrô”.


Após a aula os estudantes conheceram a cabine do trem e fizeram um tour pela estação que tem previsão para ser inaugurada até o mês de março. “Gostei muita dessa visita e tenho certeza que quando o metrô estiver funcionando em nossa cidade vai melhorar bastante a qualidade do nosso transporte”, disse a aluna do 9º ano da Escola Municipal Santa Júlia.
A programação da Univerão/Festur pode ser acessada no site https://www.laurodefreitas.ba.gov.br/univerao.


     

Religião não rima com intolerância

 

 

Paiva Netto

 

Em artigo publicado na Folha de S.Paulo na década de 1980 arguido por um leitor se não sectarizaria a minha palavra o fato de, em meus escritos, dar muito valor à Religião, escrevi:

Não vejo Religião como ringues de luta livre, nos quais as muitas crenças se violentam no ataque ou na defesa de princípios, ou de Deus, que é Amor, portanto, Caridade, e que, por isso, não pode aprovar manifestações de ódio em Seu Santo Nome nem precisa da defesa raivosa de quem quer que seja. Alziro Zarur (1914-1979) dizia que “o maior criminoso do mundo é aquele que prega o ódio em nome de Deus”.

Compreendo Religião como Fraternidade, Solidariedade, Entendimento, Compaixão, Generosidade, Respeito à Vida Humana, Salvação das Almas, Iluminação do Espírito, que todos somos. Tudo isso no sentido mais elevado. Creio na Religião como algo dinâmico, vivo, pragmático, altruisticamente realizador, que abre caminhos de luz nas Almas e que, por essa razão, deve estar na vanguarda ética. Não a vejo como coisa abúlica, nefelibata, afastada do cotidiano de luta pela sobrevivência que sufoca as massas. Não a entenderia, se não atuasse também, de modo sensato, na transformação das realidades tristes que ainda atormentam os povos. Estes, cada vez mais, andam necessitados de Deus, que é antídoto para os males espirituais, morais e, por consequência, os sociais, incluídos o imobilismo, o sectarismo e a intolerância degeneradores, que obscurecem o Espírito das multidões. (…) E de maneira alguma devem-se excluir os ateus de qualquer providência que venha beneficiar o mundo.

 

Deus, Sabedoria e Misericórdia

Religião, como sublimação do sentimento, é para tornar o ser humano melhor, integrando-o no seu Criador, pelo exercício da Fraternidade e da Justiça entre as Suas criaturas. O Pai Celestial é fonte inesgotável de Sabedoria e Misericórdia quando não concebido como caricatura, estereótipo, ódio, vingança, porquanto “Deus é Amor” (Primeira Epístola de João, 4:8), sinônimo de Caridade.

Com apurado senso de oportunidade, preconiza o Profeta Muhammad (570-632) — “Que a Paz e as bênçãos de Deus estejam sobre ele” — no Corão Sagrado, Surata Al ´Ankabut (A Aranha): “Cremos no que nos foi revelado e no que vos foi revelado. Nosso Deus e vosso Deus é o mesmo. A Ele nos submetemos”.

Vêm-me à lembrança estas palavras de Santa Teresa d’Ávila (1515-1582): “Procuremos sempre olhar as virtudes e as coisas boas que virmos nos outros e tapar-lhes os defeitos com os nossos grandes pecados”.

 

Religião na vanguarda

Tudo evolui. Ontem os homens diziam, por exemplo, que a Terra era chata. Afirmava-se que o nosso planeta seria o centro do Universo. Por que então as religiões teriam de estacionar no tempo? Pelo contrário. Religião, quando sinônimo de Solidariedade e Misericórdia, tem de iluminar harmoniosamente a vanguarda de tudo: da Filosofia, da Ciência, da Política, da Arte, do Esporte, da Economia etc. É também por intermédio dela — a Religião — que Deus, que é Amor, nos manda os mais potentes raios da Sua Generosidade. (…)

Bem a propósito esta meditação do nada menos que cético Voltaire (1694-1778): “A tolerância é tão necessária na política como na religião. Só o orgulho é intolerante”. (…)

 

Para amainar a frieza de coração

Cabe reiterar esta máxima abrangente de Zarur: “Religião, Filosofia, Ciência e Política são quatro aspectos da mesma Verdade, que é Deus”.

Ora, querer conservar os ramos do saber universal confinados em departamentos estanques, em preconceituosa conflagração, tem sido a origem de muitos males que nos assolam, em especial tratando-se de Religião, entendida no mais alto sentido.

É principalmente de sua área que deve provir o espírito solidário, que, faltando aos diferentes ramos do saber e à própria Religião, resulta na frieza de sentimentos que tem caracterizado as relações humanas, nestes últimos tempos.

(…) O milagre que Deus espera dos seres espirituais e humanos  é que aprendam a amar-se, para que não ensandeçam de vez, como na pesquisa para o uso bélico da antimatéria.

O melhor altar para a veneração do Criador são Suas criaturas. Torna-se urgente que a Humanidade tenha humanidade.

 

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com


     

Blogs são homenageados…😃👍😃

Blog do Lau

Blog do Lau

Hoje tive a grata surpresa e, logicamente, a felicidade de receber uma singela homenagem em função da colaboração que este Blogueiro deu na divulgação da corrida das academias coordenada pelo Professor Ribeiro.

Fiquei tão feliz que convidei meu Amigo Aladim do Blog Sucessagem para almoçar com direito a um sorvetinho no final…claro que paguei tudo.

Um dia Aladim abre essa mão e paga meu almoço…kkkkkk. Brincadeirinha, o menino Aladim é nota 13 e parceirão de N.R !!!


     

Lauro de Freitas: delegado é acusado de agredir advogado de suspeitos presos

O advogado baiano, Daniel Silva dos Santos, teve suas garantias violadas enquanto defendia um cliente na 23ª Delegacia, em Lauro de Freitas, na noite desta quarta-feira (17). As informações foram divulgadas pela assessoria da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção do Estado da Bahia (OAB-BA), a qual afirma ter sido acionada após o episódio.
A Comissão de Direitos e Prerrogativas da Ordem, acompanhada do presidente da OAB de Camaçari, Paulo Carneiro, e do diretor da OAB de Lauro de Freitas Murilo Azevedo, intercedeu a favor do advogado, acionando a Corregedoria da Polícia Civil e fazendo cumprir os direitos do advogado.
De acordo com a OAB-BA, “após exigir que fosse cumprido o direito de conversar com três clientes presos em flagrante, antes do depoimento que prestariam ao delegado do Plantão Metropolitano, o advogado foi agredido, empurrado duas vezes e recebeu voz de prisão do delegado, que ameaçou a atirar no advogado”.
Ainda segundo a Organização, Daniel recorreu ao delegado do Plantão da 23ª Delegacia, Maurício Daltro, e acionou a OAB da Bahia, que, por meio do representante da Comissão de Direitos e Prerrogativas Mateus Nogueira e do diretor da OAB de Lauro de Freitas Murilo Azevedo, se dirigiu imediatamente à delegacia.
O presidente da seccional de Camaçari, Paulo Carneiro, também esteve na unidade e manteve contato direto com o presidente da OAB-BA, Luiz Viana Queiroz. “O presidente me pediu que tomasse à frente do problema e, por meio do meu celular, também conversou com Daniel”, disse.
Além dos representantes presentes à delegacia, o presidente da Comissão de Direitos e Prerrogativas da Ordem, Adriano Batista, acionou a Corregedoria da Polícia Civil, que solicitou ao delegado Maurício Daltro pegar o depoimento do advogado, para a tomada das providências necessárias, e garantiu que o advogado conversasse com os clientes. 
“A OAB da Bahia não aceita este tipo de comportamento e estará sempre ao lado dos advogados e advogadas quando atos como este, que relembram a época da ditadura, forem perpetrados por qualquer autoridade”, defendeu Adriano Batista.
Paulo Carneiro e Murilo também recriminaram a atitude do delegado e destacaram a mobilização dos colegas. “É inaceitável ações como esta. Atentar contra as prerrogativas da advocacia é atentar contra o próprio estado democrático de direito. E a OAB jamais admitirá ou relativizará a violação das prerrogativas profissionais”, disse Paulo. “Impressionou-me a mobilização dos colegas neste caso. Agora, após impedirmos que o delegado instaurasse qualquer procedimento contra Daniel, aguardaremos o desdobramento do caso”, complementou Murilo.
“Nossa comissão sempre estará à disposição para dar suporte aos colegas e atenta às violações, para tomar as medidas pertinentes. Para tanto, é importante que os advogados nunca deixem de reportar suas ocorrências”, concluiu Mateus Nogueira.
Integrantes da Comissão de Prerrogativas da Associação dos Advogados Criminalistas da Bahia (AACB) e cerca de 15 outros advogados também compareceram à delegacia.

     

SOCIALIZA em Lauro de Freitas e na Bahia é nota 13.

 

A  SOCIALIZA faz um trabalho fantástico de respeito e ressocialização dos reeducandos aqui em Lauro de Freitas e em outras cidades da Bahia.

Claro que há problemas e de quando em vez aparece um pedra no caminho de seus FUNCIONÁRIOS, seres humanos, passíveis de erros e alguns  tropeçando ,claro, mas logo caindo fora dos quadros da empresa. Bom lembrar, no entanto, que a REGRA da SOCIALIZA  é servir bem na Gestão de Unidades Prisionais na Bahia. zelar pelos seus serviços.

Ontem, dia 18, p.ex.,  o Conjunto Penal de Lauro de Freitas em Parceria com a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (  SRTE/BA ), realizou um mutirão para confecção de Carteiras de Trabalho. Esta ação visa regularizar a situação civil e profissional dos reeducandos contribuindo dessa maneira para o processos de ressocialização.


     

FESTUR dentro da UNIVERÃO, sucesso total na abertura e com certeza será até dia 21.


 

Abertura do FESTUR pelã manhã no Cine Teatro foi linda demais. Casa cheia, NR, Naide Brito, Carlucho , Joílson Lopez e o canto maravilindo de Camila Ribeiro, 17 anos, moradora de Itinga na apresentação da Orquestra de pandeiros de Lauro de Freitas.

O evento vai até dia 21 dentro da UNIVERÃO,  Universidade Aberta no Verão de nossa terra com 12 Universidades envolvidas e mais de 200 mil alunos. Primeira vez em nossa história a UNIVERÃO, mas com certeza em 2019 teremos outra edição de muitas, em nome de Jesus, orixás, caboclos e guias.

Na UNIVERÃO/FESTUR ainda teremos Diogo Nogueira, Geraldo Azevedo e muita gente bacana de nossa música nacional. Isto sem contar com os mais de 100 cursos que foram oferecidos e muitas palestras bacanas como a de Paulo Teixeira.

Moema Gramacho, Paulo Nacif, SEMED, Carlucho, SECULT e toda equipe de nossa, todas e todos nota 13.

Vamoqvamo, Lauro City.

 


     

Carlos Martins celebra padroeiro de São Sebastião do Passé

Inserida no calendário cultural da cidade, a festa de São Sebastião, padroeiro do município de São Sebastião do Passé, segue até o próximo sábado (20). A celebração religiosa conta com novena, missas e processão, atos de devoção e fé que tradicionalmente reúnem toda a comunidade católica local. Compartilhando desse momento, o secretário de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Carlos Martins participou da missa realizada na noite de quinta-feira (18), na Igreja Matriz, acompanhado pelo secretário municipal de Assistência Social, Marcus Vinícius, do vice-prefeito Fábio Argolo e diversas lideranças locais.

“É uma celebração linda, que une tradição e fé. A Festa do Padroeiro é uma grande manifestação da cultura popular, e também, tempo celebração, devoção e aprendizado. Momento de reflexão e de conhecer um pouco mais sobre as virtudes de São Sebastião, além de ser uma oportunidade de comunhão com a família e amigos”, comentou Martins, pedindo ainda que Deus renove as esperanças, determinação e empenho das pessoas na promoção da paz, democracia, justiça e igualdade social.

O santo Padroeiro, conhecido por ser guerreiro e defensor da Igreja, serviu a dois exércitos: o de Roma e o de Cristo, deixou exemplo de coragem, compaixão e solidariedade. Sempre que tinha uma oportunidade, visitava os cristãos presos, levava auxiliava aos que estavam doentes e aos que precisavam, consolando, renovando forças e ajudando a não enfraquecer na fé.

A festa de São Sebastião será encerrada no próximo sábado, dia oficial do padroeiro, com alvorada, missas, caminhadas e uma grande festa.


     

Abertura da Festur, no Cine Teatro de Lauro de Freitas.

Uma linda festa de abertura da FESTUR Cine Teatro lotado, com a presença de diversas autoridades. Veja  o que postou  em sua rede social a Presidente da Câmara Municipal,  Vereadora  Naide Brito.

“Na manhã desta sexta-feira (19), participamos da Abertura da Festur, no Cine Teatro de Lauro de Freitas. Encerrando as atividades da Univerão, que foi uma linda vivência que tive a oportunidade de participar durante essa semana. Parabéns, prefeita Moema Gramacho e todos e todas envolvidos nesse maravilhoso projeto. A Festa Turística Étnica Cultural (Festur) irá movimentar a cidade até o dia 21 com shows, teatro, cavalgada, feiras e muito mais. Participe! “#VereadoraNaideBrito


     

Caso Lula: o judiciário se condena

Arte: Grossomodo

Por Jeferson Miola

Não é segredo que a aceleração do julgamento do ex-presidente Lula na segunda instância do judiciário é carta marcada. Não é sinal de celeridade judicial e, menos ainda, de normalidade jurídica ou de julgamento justo. É fraude bruta, é mero jogo de aparências do regime de exceção para assegurar a continuidade do golpe e da agenda de retrocessos.

Até os mármores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região sabem que o simulacro de julgamento de 24 de janeiro é, na verdade, uma pantomima judicial para condenar sem provas e cassar os direitos políticos do maior líder popular da história do Brasil.

O próprio presidente do TRF4, o desembargador que agora faz sensacionalismo leviano sobre supostas ameaças a juízes [sem apresentá-las com objetividade, como deveria], em agosto de 2017 já antecipava a condenação do Lula: “histórica e irretocável”.

Os julgadores do TRF4 estão ali apenas para cumprir o script do golpe, que consiste em condenar Lula para barrar sua candidatura e consequente vitória no primeiro turno da eleição de 2018.

O comando do terrorismo midiático-judicial contra Lula concebeu este desfecho de antemão, ainda no nascimento da Lava Jato, em 2014. A guerra jurídica persistente e sistemática – o lawfare – foi a arma de excelência.

A dúvida é se Lula será condenado por 2 votos a 1 ou por 3 votos a zero. A única certeza, todavia, é que Lula começa o julgamento já condenado por antecipação, mesmo sem provas e sem cometimento de crime.

O roteiro do golpe, que depende do banimento do Lula em 2018 para continuar, foi escrito pelas mãos da Globo em parceria com toda a mídia hegemônica; pelas mãos do PSDB, PMDB, DEM, PP, PR, PTB e demais partidos conspiradores; e pelas mãos fascistas de delegados tucanos, procuradores tucanos e juízes tucanos – com a devida a assistência dos Departamentos de Justiça e de Estado dos EUA e do grande capital rentista.

Depois de colaborar com o impeachment fraudulento conduzido pela quadrilha de Cunha, Temer, Geddel, Padilha e associados, o banimento do Lula passou a ser a razão existencial da Lava Jato.

Como não conseguirá derrotar Lula na eleição presidencial com nenhuma das candidaturas testadas – inclusive de animadores de auditório – não restou alternativa à classe dominante senão banir Lula do processo de escolha soberana do povo.

O bloco dominante acredita que o banimento do Lula não causará comoção social; e, menos ainda, convulsão social e, nem remotamente, uma revolução social. Por isso decidiu ir adiante para cravar mais fundo o punhal do golpe.

A condenação do ex-presidente sem provas e num processo nitidamente casuístico, que restringiu o exercício do direito de defesa, é um atentado contra a democracia e o Estado de Direito. Esta decisão “histórica e irretocável” condena o judiciário e inocenta Lula.

Esta aberrante condenação não será suficiente, entretanto, para cassar a candidatura do Lula. Será um longo trajeto de discussão e disputa jurídica até a eleição de outubro. Será nas ruas, com o povo em resistência democrática, que Lula verá restaurado seu direito civil e político.

Haverá de chegar o dia em que os bastardos da democracia deverão ser julgados pelos crimes e desvios que cometem hoje. Haverá de chegar o dia em que a resposta da sociedade brasileira será menos complacente que foi, por exemplo, em relação aos perpetradores do golpe de 1964 – celebrados no editorial “Ressurge a democracia” [sic] do jornal O Globo de 2 de abril de 1964.

Mais cedo que tarde a verdade virá à luz e a fraude do julgamento do Lula será revelada, e então os canalhas togados e fardados não ficarão impunes. Processar e julgar aqueles que atentam contra o Estado de Direito é uma obrigação republicana e democrática.