Greve geral começa nesta quarta e tem vários dias de programação na Bahia

Nesta quarta-feira (15), trabalhadores e membros da Frente Brasil Popular, Povo Sem Medo e de Centrais Sindicais vão seguir a tendência de diversas cidades brasileiras e realizar uma greve geral na Bahia, com intensa programação em Salvador.
As entidades programaram greves e manifestações por toda a capital e interior em conjunto com diversas categorias, que vão desde o transporte até a construção pesada, passando pela educação.
O texto da PEC 287, encaminhado ao Congresso Nacional pelo governo Temer em dezembro do ano passado é considerado por lideranças sindicais como um “desmonte” de todo o sistema previdenciário no Brasil, com objetivo de acabar com diretos adquiridos dos trabalhadores brasileiros, informam os líderes dos movimentos.
Aposentadoria apenas aos 65 anos, extinção do direito a férias, décimo terceiro e descanso remunerado, além do direito ao valor integral do benefício apenas com contribuição acima de 49 anos são propostas que estão em curso na Câmara dos Deputados e foram uma das motivações para o movimento.
Diante do cenário político brasileiro, com diversas reformas em andamento, movimentos populares e entidades sindicais de todo o Brasil realizarão de forma simultânea, em todos os estados, nesta quarta-feira (15), protestos e ações de conscientização para alertar a sociedade sobre o que significa a reforma da Previdência para os trabalhadores brasileiros.
O dia nacional de luta terá participação da Central Única dos Trabalhadores da Bahia (CUTBahia) e outras centrais por toda a Bahia. Os movimentos dos trabalhadores da agricultura familiar e economia solidária, afetados com a reforma da Previdência, estão convocando a todos e todas para fecharem BR, BA e avenidas importantes de diversas cidades pela Bahia.
Segundo o Presidente a Central Única dos Trabalhadores da Bahia, Cedro Silva, a paralisação das atividades está sendo votada em assembleias em comum acordo com toda a classe. Diversas cidades do interior estão confirmando algum ato. Atos, passeadas, caminhadas, fechamento de BR e BA e atos públicos em repartições federais, estaduais e municipais estão previstos. Escolas de toda a Bahia não terão aula e atos em setores da saúde também estão previstos.
A expectativa é de dois grandes atos na capital baiana, com o envolvimento de diversos setores, nesta quarta-feira (15), com outras atividades em Salvador e no interior, na quinta (16), sexta (17) e na próxima segunda-feira (20).
Em Salvador, acontecerão duas grandes atividades: um protesto em frente ao Shopping da Bahia, às 7h, e uma caminhada, com concentração no Campo Grande, a partir das 15h, ambas nesta quarta. Diversas categorias de trabalhadores também devem aderir ao movimento, realizando paralisações, assembleias e outras atividades durante alguma parte do dia.
As centrais estão convocando todos os trabalhadores para participar das atividades. “Só a nossa mobilização será capaz de barrar a retirada de direitos. Precisamos ocupar as ruas e pressionar os deputados a votarem contra as propostas”, alertou Aurino Pedreira presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil na Bahia (CTB Bahia).
Em apoio à causa, trabalhadores em educação de todo o País entram em greve geral a partir desta quarta (15). A APLB- (Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia) está atendendo a uma decisão tomada por maioria no 33º Congresso Nacional da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e convocando os trabalhadores em educação (redes estadual e municipal) a paralisar as atividades.
O Sindicato afirma que vem cumprindo rigorosamente as deliberações aprovadas em Congresso, tendo realizado assembleias na Rede Municipal de Salvador, demais redes municipais e nas 18 Regionais da Rede Estadual, cuja decisão em todas elas foi unânime estabelecendo greve geral de 15 a 24 de março.
Confira abaixo a agenda de atividades previstas:
Quarta-feira (15):
Às 7h – manifestação em frente ao Shopping da Bahia (com caravanas do interior).
Às 15h – caminhada saindo do Campo Grande em direção ao Comércio.
Quinta-feira (16):
Na capital:
Ações unificadas em diversos pontos da cidade com panfletagem, caminhada, bandeiraço.
Centro – 9h – Concentração em frente ao Fórum Rui Barbosa em direção a Praça da Piedade descendo a Estação da Lapa;
Brotas – 9h – Concentração na Cruz da Redenção em direção ao Colégio Góes Calmon;
Liberdade: 9h – Concentração em frente ao Colégio Duque de Caxias, seguindo em direção a Lapinha;
Cidade Baixa: 9h – Concentração no Largo dos Mares em direção ao Largo de Roma;
São Caetano: 9h – Concentração no Largo do Ar Geral em direção ao Colégio Estadual Pinto de Carvalho;
Cabula: 9 h – Concentração na UNEB em direção a Estrada das Barreiras;
Pirajá: 9h – Concentração no Largo de Pirajá em direção ao final de linha da Rua Velha
Cajazeiras: 9h – Concentração no Largo da Feirinha em direção a Pronaica;
Orla: 9h – Concentração na Escola Municipal Cidade de Jequié em direção ao final de linha do Engenho Velho da Federação;
Itapuã: 9h – Concentração em frente a Igreja de Itapuã em direção ao Bompreço;
Subúrbio I: 9h – Concentração no Luso em direção ao final de linha de Plataforma;
Subúrbio II: 9h- Concentração na segunda rotatória de Paripe em direção a Praça de Paripe.
No interior:
Bandeiraço e panfletagem nos pontos estratégicos da cidade.
Sexta-feira (17)
Das 9h às 17h: Seminário Estadual contra a PEC 287/2016 Reforma da Previdência. Local: Hotel Othon Palace, Ondina
Segunda-feira (20):
Ato Político Unificado capital e interior, seguido de caminhada pelo centro da cidade.

     

Você pode gostar...