Bomba, bomba, bomba!!! Moema paga antecipado, mais uma vez !!!

Blog do Lau

Blog do Lau

Já não é mais bomba, bomba, bomba mesmo…virou uma consequência de quem realmente sabe administrar a res Pública(coisa pública).

A nossa Prefeita tem mostrado sua experiência acumulada durante seus primeiros 8 anos de Gestão e na sua longa passagem pelos distintos Poderes Legislativos.

Com planejamento e execução de ações prioritárias e que tragam resultados efetivos às demandas da Sociedade, aliada à sua habilidade política, Moema vai honrando sua palavra e fazendo até mais que o possível.

Numa crise dessas não são raras as Prefeituras que já parcelam ou mesmo deixam de pagar os salários dos Servidores.

Aqui, Moema paga antecipado e amanhã o dinheiro está na conta !!!

Parabéns, nossa Rainha !!!


     

Comunicado: Major Fabrício

Blog do Lau

Blog do Lau

Boa noite a todos!

Senhores, ocupo-me do presente para esclarecer a todos um pouco da situação atual que vivemos na área da 52ªCIPM.

Como em todo o país, vivemos índices elevados de criminalidade que acabam por afetar a todos nós. Fato este que é um problema muito além da questão de polícia, envolve incontáveis fatores sociais que vão desde a educação até mesmo situação financeira do país. O que a Polícia Militar tem tentado fazer é apenas amenizar as consequências de uma crise social de vasta proporção.

Nesse diapasão, posso afirmar com total convicção que minha tropa tem respondido (muito mais que a altura) na tentativa de proporcionar a sociedade laurofreitense uma melhor qualidade de vida, tornando nosso município um local mais seguro para se viver, mesmo com toda escassez de recursos e dificuldades inerentes a atividade policial militar. Fato este que se reflete nos números constantes em nossa estatística, os quais nos mostram que nossa produtividade aumenta a cada dia. A minha tropa, meu muito obrigado!

Qualquer situação estamos à disposição e conto com todos vcs para melhorar a cada dia a nossa prestação de serviço.
Forte abraço!

Fabrício de Oliveira Silva -Maj PM
Comandante da 52ªCIPM


     

Municípios da RMS querem apoio do Ministério do Turismo

O Secretário de Planejamento de Lauro de Freitas, Mauro Cardim, esteve reunido hoje(25) com o Ministro do Turismo, Marx Beltrão. Na pauta do encontro a busca de apoio do Ministério para o fomento ao Turismo no município, sobretudo no segmento afro-étnico-religioso, além do suporte aos eventos culturais tradicionais da cidade. Segundo o titular da SEPLAN, “temos que abrir todas as possibilidades de parcerias para o desenvolvimento do nosso município e ajudar as demais Secretarias de Governo, sobretudo a comandada pelo Secretário Manoel Carlos, “Carlucho “, que comanda os destinos da Secretaria de Cultura e Turismo”, concluiu Cardim. Depois do encontro, e abrindo oportunidades para parcerias relevantes com outros municípios da RMS, Mauro Cardim e Sérgio Vilalva, Secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Camaçari, presente ao encontro no MTurismo, pretendem viabilizar a criação de uma nova Rota Turística para o Litoral Norte.


     

Programa de Desenvolvimento Integrado e Sustentável de Territórios

Blog do Lau

Blog do Lau

Prefeitura de Lauro de Freitas, CEF e Ufba planejam ações do Programa de Desenvolvimento Integrado e Sustentável de Territórios.

Hoje(25), com a realização de mais uma reunião de trabalhos envolvendo  Secretarias de Governo da Gestão Moema Gramacho, representante da Caixa Econômica Federal e da Universidade Federal da Bahia, foi ampliado o debate sobre as ações integradas que serão desenvolvidas  do entorno do Capelão e Lauro de Freitas, A, B e C ( Capiarara, Jambeiro, Areia Branca) que integram o Programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal.
Na oportunidade, dentre as diversas contribuições técnicas dos participantes, o Coordenador Geral da SEPLAN, Antonio Sérgio Sousa, apresentou o resultado da Oficina de Planejamento nas ações que convergem para a região do DIST/Lauro de Freitas.
Ao final, já ficou estabelecida uma reunião de sistematização, como resultado da produção do grupo de trabalho que será coordenado pela SEDUR, conforme determinação da prefeita Moema Gramacho.


     

Cadeia muda versão de delatores contra Lula

Por Cynara Menezes, no blog Socialista Morena:

Em junho do ano passado, a Folha de S.Paulo noticiou que a delação do executivo Léo Pinheiro, ex-presidente e sócio da OAS condenado a 16 anos de prisão, “travou” porque ele inocentara o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na época, segundo o jornal, o executivo falou que “as obras que a OAS fez no apartamento tríplex do Guarujá (SP) e no sítio de Atibaia (SP) foram uma forma de a empresa agradar a Lula, e não contrapartidas a algum benefício que o grupo tenha recebido”. Ou seja, não havia crime. E Sergio Moro recusou a delação.

Aos 65 anos e com saúde frágil, Léo Pinheiro foi preso em novembro de 2014 na Operação Juízo Final, a 7ª fase da Lava-Jato. Em 2015, ganhou prisão domiciliar com tornozeleira, mas foi condenado a 16 anos de prisão por Moro e voltou à cadeia em Curitiba em setembro de 2016, duas semanas após sua delação ser rejeitada. Em novembro, sua pena seria aumentada pelo TRF-4 para 26 anos de prisão. Esta semana, em nova delação, Léo mudou vários detalhes do depoimento que havia sido recusado pelo juiz da Lava-Jato.

Curiosamente, todos os “novos” detalhes da delação do executivo da OAS se encaixam à perfeição na narrativa da Força Tarefa contra Lula. Não existem até hoje, como todo mundo sabe, provas de ilegalidades cometidas pelo ex-presidente, apenas as “convicções” dos procuradores. Mas, segundo Léo Pinheiro diz agora, as provas não existem “porque Lula mandou destruir”. O executivo coloca o próprio advogado de Lula na conversa em que o ex-presidente lhe teria ordenado a destruição de documentos.

As únicas “provas” que Léo apresentou, divulgadas com estardalhaço pela imprensa no sábado, 22 de abril: o registro de que dois carros em nome do Instituto Lula passaram pelo sistema automático de cobrança de pedágio a caminho do Guarujá entre 2011 e 2013 (uma vez a cada 365 dias), sem que, no entanto, se comprove que iriam para o apartamento; e registros de emails onde aparece o nome do executivo na agenda de Lula, além de telefonemas trocados com ele. Só.

Em outubro de 2016, outra delação fora recusada pela Força-Tarefa por não incriminar Lula. Moro rejeitou o depoimento de Alexandrino Alencar, ex-diretor da Odebrecht. O principal ponto de discórdia foi Alexandrino ter afirmado que as benfeitorias feitas pela empresa baiana no sítio frequentado por Lula em Atibaia foram “um agrado” e não uma contrapartida por contratos com o governo federal. Este detalhe muda tudo, porque receber presentes de empreiteiras não é algo que vá lustrar a biografia de Lula, mas receber propina é crime.

O executivo foi preso em 2015, na 14ª fase da Lava Jato, a Erga Omnes. Foi solto quatro meses depois e condenado a 15 anos de prisão por Moro em março do ano passado. Em sua nova delação, na semana passada, e diante da possibilidade de ser preso novamente, Alexandrino resolveu implicar não Lula, mas seu filho, Luis Cláudio: disse que a Odebrecht o ajudou a tentar criar uma liga de futebol americano no Brasil. Novamente, não há comprovação de nenhuma ilegalidade. Alexandrino também revelou que a empresa dava uma mesada de 5 mil reais para o irmão de Lula, frei Chico.

O que fez o depoimento dos dois delatores mudar tanto? Ninguém quer mofar na cadeia, isto é certo. Estar preso é uma tortura, nem precisa de outras. Ainda mais quando podem se beneficiar de uma delação premiada e ter a pena fabulosamente reduzida. Mas chama a atenção, em ambos os casos, a recusa da Força-Tarefa em aceitar a delação inocentando Lula. Em uma delas o delator está mentindo: na primeira (que inocentava Lula) ou na segunda (que tenta incriminá-lo)?

Também chama a atenção o fato de, mesmo tendo devassado a vida do ex-presidente inteirinha, suas contas bancárias e até mesmo suas ligações telefônicas pessoais e de sua mulher (vazando-as, inclusive), os investigadores da Lava-Jato não terem encontrado nenhuma prova contra Lula e ainda dependerem de delação para conseguir a façanha de condená-lo. É de se questionar a lisura e o equilíbrio de uma investigação onde se investiga menos do que se pressiona por delações, e com o objetivo de comprometer membros de apenas um partido, quando todos estão envolvidos, como se comprovou com a lista divulgada pelo ministro Fachin.

Os advogados de Lula foram mais diretos e apontaram a fabricação de uma “mentira”, uma versão “acordada com o MPF” para que a delação fosse aceita. “A versão fabricada de Pinheiro foi a ponto de criar um diálogo – não presenciado por ninguém – no qual Lula teria dado a fantasiosa e absurda orientação de destruição de provas sobre contribuições de campanha, tema que o próprio depoente reconheceu não ser objeto das conversas que mantinha com o ex-presidente”, disseram os advogados em nota.

A defesa também divulgou um texto em que acusa a Força-Tarefa de fazer pressão sobre o executivo para “fabricar” a delação comprometendo Lula. “Na condição de réu, Léo Pinheiro tem o direito constitucional de mentir para se proteger. Como testemunha, no entanto, ele está proibido de mentir”, advertem os advogados.

Para a mídia, aliada de Moro no processo, o principal objetivo – danificar ainda mais a imagem do ex-presidente para inviabilizá-lo como candidato em 2018 – foi atingido. Inventada ou real, a frase que Léo Pinheiro disse ter ouvido de Lula já foi transformada em verdade absoluta pela imprensa “imparcial”: está estampada na capa da revista Veja como “prova” de que o ex-presidente, primeiro lugar nas pesquisas, está “acabado”.


     

Lava-Jato tortura Palocci para atingir Lula

Por Miguel do Rosário, no blog Cafezinho:

Olha que podridão.

A dobradinha entre MPF e Judiciário é ilegal obviamente, já que deveria existir separação de poderes e interesses.

O MPF deveria buscar a verdade, e não encetar uma “guerra” contra ninguém. Neste caso, de “guerra”, deveria haver um Judiciário para conter o MPF. Mas o Judiciário também entra na “guerra”.

A Lava Jato está prendendo todas as pessoas próximas de Lula, e ameaçando-as com prisão perpétua, caso não delatem o ex-presidente – quer dizer, caso não corroborem as versões da acusação.

O único caso similar, na história do mundo, que eu me lembre, foram os julgamentos nos tribunais de Stálin, na perseguição aos quadros que participaram da revolução de 1917, incluindo Trotsky.

A menção a empresas de comunicação e instituições financeiras mostra o cinismo da Lava Jato, porque Palocci sabe muito bem que isso não interessa aos procuradores, nem a Sergio Moro. Quer dizer, interessa se falar da Carta Capital, naturalmente. Mas não da Globo, etc.

Trata-se de uma delação preparada para produzir mais instabilidade, confusão e ódio político, o que é justamente o que interessa ao consórcio golpista, que precisa de muita confusão para abafar o saque ao patrimônio público em poucos meses de governo usurpador.

É o terrorismo político de sempre, que caracteriza a Lava Jato desde o seu início, e que faz juízes, empresários, parlamentares e jornalistas se curvarem, apavorados, a seus caprichos.

Alguns milhões de postos de trabalho já foram destruídos com essa palhaçada.

É mais uma maneira, além disso, de iludir setores ingênuos do campo progressista.

Enquanto a Lava Jato permanece o foco da mídia nacional, a crise econômica avança. A tática da mídia, naturalmente, é parecida a do nazismo: culpar os “comunistas” e os “judeus”.

Com a esquerda desorganizada e na defensiva, a classe trabalhadora permanece indefesa aos ataques dos vampirismo medieval do congresso, que age sempre com apoio da grande mídia.

O Brasil que vai emergindo dos terremotos da Lava Jato é cada vez mais instável, corrupto, violento e atrasado.

Além disso, me parece óbvio que a Lava Jato, insatisfeita com o impacto relativamente fraco da delação de Leo Pinheiro contra Lula, que foi ridicularizado nas redes sociais (a Lava Jato tem assessoria de marketing que levanta esses dados), quer a delação de Pallocci antes do depoimento do ex-presidente, que por isso mesmo foi adiado para o dia 10 de maio.

*****

No Jornal GGN

Palocci deve falar de Lula para conseguir delação, diz jornal

SEG, 24/04/2017 – 10:35

Jornal GGN – O ex-ministro Antonio Palocci, em depoimento ao juiz Sergio Moro, na semana passada, deu sinais de que quer colaborar com a Lava Jato, inclusive entregando nomes e esquemas do mercado financeiro e de grandes empresas de comunicação. Porém, para a força-tarefa, o que interessa é que Palocci não poupe Lula em seu depoimento. É o que diz a colunista Monica Bergamo nesta segunda (24).

Segundo Bergamo, Palocci só preservou Lula no depoimento da semana passada, sobre esquema de corrupção envolvendo a Odebrecht, “a duras penas, segundo uma pessoa de seu círculo próximo”. “(…) ele [Palocci] já estaria convencido de que dificilmente fechará uma delação premiada sem envolver diretamente o ex-presidente.”

Em seu depoimento a Moro, Palocci só envolveu Lula em um momento: quando foi questionado se tinha conhecimento de que a Odebrecht teria feito “provisões” em nome do PT. Segundo Palocci, ele não só ficou sabendo como o assunto também foi levado a Lula, talvez pelo executivo e delator da Lava Jato Alexandrino Alencar.

O ex-ministro, contudo, disse que procurou Marcelo Odebrecht para dizer que o PT não aceitaria “provisões”, apenas doações em período eleitoral. Palocci também indicou que a opção da doação em caixa 2 era determinada pela empresa e que políticos e partidos de todas as vertentes sabiam que era assim que as campanhas eram financiadas.

DELAÇÃO, SÓ COM LULA

Na semana passada, o ex-presidente da OAS Leo Pinheiro também depôs diante de Moro, mas no processo em que é julgado por ter supostamente direcionado um apartamento triplex para o ex-presidente. Leo Pinheiro vinha negando que Lula era dono do imóvel e, inclusive, teve acordo de delação rejeitado por não implicar o petista. Em junho de 2016, a Folha de S. Paulo chegou a manchetar a recusa da Lava Jato por causa da “proteção” a Lula.

Dessa vez, após mais de um ano preso, já condenado em outra ação e sem perspectivas, Pinheiro disse que o triplex era para a familia de Lula e que isso foi negociado com João Vaccari Neto, tesoureiro do PT, e Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula. Para dar um aperitivo do que pode entregar a Lava Jato, Pinheiro, numa dobradinha com seu advogado, ainda disse que Lula pediu a ele que destruisse provas de pagamentos de propina ou caixa 2 ao PT.


     

O tempo passa, novos nomes e a edilidade é a mesma em sua essência oportunista e eleitoreira.

Resultado de imagem para Camara de Vereadores de lauro de freitas

Hoje voltei mais uma vez à sessão ordinária da edilidade laurofreitense. Frequento a Câmara de Vereadores desde a década de 80. Não muda nada além dos nomes, partidos. Lembro de Francisco Franco batendo em Paulo Rosa e compondo o governo municipal e assim agiam outros como Edson Neves, enfim, mordiam e beijavam.

Edvaldo, ‘ palhaço ‘ que tem a SECULT batendo na gestão e nesta e em outras sessões. Isaac de Belchior, PPL, metendo o sarrafo no Meio Ambiente. Já Cesar, ex lider do Dr dizia que o mamógrafo ficou dois anos no lixo da SESA de Márcio por falta de R$5.ooo,00 ( cinco mil reais ) pra consertar o aparelho que ajuda a detetar o CA de mama e tome elogios a NR. Mudou o quê ? Alguns nomes e só. Claro que Naide Brito, PT, Roque Fagundes, PT, não discursam contra a gestão e talvez sejam os únicos.

Vereadores aliados não eram pra ir  à tribuna muito menos às redes sociais reclamar de secretários, da prefeita. Fossem o minimo preparados, tivessem um pingo de discernimento, conversaria com o secretário da pasta  onde encontrou o problema. não foi atendido vai à prefeita e por último CONVOCA o secretário. Não, o problema é que Alexandre Marques, Carlucho, Olinto, todos ou quase todos podem disputar o pleito de 2020 e aí vamos logo marcar posição mesmo que custe desgastar a gestão que está pondo comida em sua mesa e de seus infinitos assessores, de coisa nenhuma. Só que Moema não é o Dr e o caderninho de NR está lá com pontuação dos aliados e aliados.

Volta logo, Jesus.


     

TJBA aprova permuta entre juízes de Lauro de Freitas e Salvador

Desembargadores do TJBA aprovaram  pedido de permuta entre juízes de Lauro e Salvador

Os desembargadores do Tribunal de Justiça da Bahia, reunidos em sessão plenária na manhã desta quarta-feira (19) aprovaram  por  unanimidade a permuta entre as titularidades da juíza Virgínia Silveira Wanderley dos Santos Vieira, da 1ª Vara dos Feitos Relativos às Relações de Consumo Cíveis e Comerciais da Comarca de Lauro de Freitas, com o juiz André de Souza Dantas Vieira, da 2ª Vara Criminal da Comarca de Salvador.

Fonte: TJBA


     

Médicos que trabalharam na UPA de Itinga são convidados por sindicato a comparecer a audiência no MPT dia 4 de maio

Dr. Everton Mendes e Francisco Magalhães foram à audiência no MPT
O Sindimed convida os médicos da UPA de Itinga a participar de uma audiência no Ministério Público do Trabalho (no Corredor da Vitória) no dia 4 de maio, às 14h. Na pauta, o reconhecimento dos vínculos trabalhistas (pela CLT) por parte do Instituto Médico Cardiológico da Bahia (IMCBA) bem como o pagamento do mês de janeiro de 2016 e de cinco dias de fevereiro também daquele ano. Na última tentativa de conciliação, promovida nesta terça-feira (11), nenhum representante do IMCBA compareceu.
Ficou então agendada uma segunda tentativa, ressaltou o presidente do Sindimed, Francisco Magalhães, que espera a presença de representantes do IMCBA no encontro marcado para 4 de maio. O IMCBA foi afastado da administração de unidades de saúde de Salvador e Região Metropolitana por estar sendo investigado pela Operação Copérnico, da Polícia Federal, de combate a fraude e desvios de recursos na área da saúde.
Magalhães reafirma ser fundamental a participação de todos na próxima audiência. É importante também aos médicos que atuavam sob a gestão do IMCBA reunir as notas recebidas no período trabalhado e procurar o sindicato. A apresentação destes comprovantes é fundamental para o recebimento dos direitos trabalhistas, avisa o presidente do Sindimed. A entidade está à disposição para fornecer qualquer esclarecimento pessoalmente ou pelo telefone 35552558.
Fonte: Sindmed Ba